PT
Você não tem itens no seu carrinho de compras.

Hemorroidas & Obstipação

Hemorroidas & Obstipação

O termo ‘hemorroidas’ designa uma protuberância anormal das veias que ligam o ânus ao reto (plexo hemorroidal) e dos respetivos tecidos de suporte.


A doença hemorroidária resulta do aumento de pressão no interior dos vasos sanguíneos devido à sua dilatação. Consequentemente, as veias dilatadas podem inflamar e despoletar outra sintomatologia, como:

• ardor;
• prurido;
• rectorragia (surgimento de sangue durante ou após a evacuação);
• sensação de necessidade de evacuação, mesmo que tenha acabado de acontecer;
• aparecimento de muco na roupa interior ou aquando da higiene anal;
• dor.

 

A prevalência é semelhante entre homens e mulheres, sendo mais comum em indivíduos mais velhos (45-65 anos) devido à perda de elasticidade dos tecidos.
De acordo com a sua localização, as hemorroidas podem ser internas (dilatação ocorre dentro do ânus) ou externas (dilatação à volta do ânus), sendo que os dois tipos podem coexistir - hemorroidas mistas.
As hemorroidas internas caracterizam-se pelo surgimento de sangue que não se mistura com as fezes. Geralmente são indolores, mas requerem encaminhamento médico.
As hemorroidas externas raramente envolvem sangramento e são visíveis como regiões duras/escuras em torno do orifício anal, o que facilita o seu diagnóstico.


Existem vários fatores de risco que contribuem para o aparecimento de hemorroidas. Destacam-se:

• obstipação/prisão de ventre (maior esforço de evacuação) ou diarreias crónicas;
• trabalho pesado frequente;
• dieta pobre em fibras e líquidos;
• sedentarismo;
• permanência em posição sentada ou ereta durante longos períodos de tempo;
• infeção anal;
• hereditariedade (defeitos nos vasos sanguíneos);
• doenças metabólicas (diabetes, gota, cirrose);
• gravidez e parto (aumento da pressão nas veias retais);
• obesidade;
• envelhecimento.

 

No entanto, existem dicas que pode adotar no seu dia-a-dia para prevenir!

1. Ingira líquidos (2-3 L/dia) e alimentos ricos em fibra.
2. Evite alimentos irritantes para a mucosa anal e retal (álcool, café, queijo, chocolate, condimentos picantes).
3. Não contrarie a vontade de defecar, sob risco de as fezes se tornarem mais secas e duras;
4. Após cada evacuação, faça banhos de assento em água tépida durante 10-15 minutos. No final, aplique um creme gordo;
5. Nas crises agudas, lave-se com água fria: efeito vasoconstritor;
6. Limpe-se com água e sabão neutro ou com toalhitas calmantes específicas para o efeito depois de cada defecação;
7. Aplique pomadas com ação lubrificante, protetora e refrescante;
8. Restrinja o uso de roupas interiores sintéticas;
9. Pratique exercício físico: ajuda a fortalecer os músculos da região perianal e alivia alguns sintomas;
10. Evite passar muito tempo de pé ou sentado;
11. Tome medicamentos venotrópicos apenas com o aconselhamento de um profissional de saúde.

 

Por sua vez, a obstipação crónica (vulgarmente designada de ‘prisão de ventre’) pode ser um fator precipitante para o surgimento da doença hemorroidária.
Caracteriza-se por uma redução da frequência de evacuar, normalmente acompanhada pelo aumento da consistência das fezes e pela sensação de evacuação incompleta e/ou um esforço excessivo para defecar.

 

A maioria das dicas para prevenir a doença hemorroidária são comuns para a obstipação. Adicionalmente, existem outras como:

• não ignore a urgência de defecar;
• mantenha um horário regular de ida à casa de banho, preferencialmente após as refeições (quando a motilidade intestinal é maior) ou de manhã (quando a atividade motora do cólon é superior);
• privilegie a toma de probióticos, de preferência as formulações contendo bifidobactérias e lactobacilos;
• utilize laxantes não irritativos: o uso abusivo pode desencadear alterações anatómicas e funcionais do cólon.

 

A Farmácia Grave tem ao seu dispor profissionais de saúde para o esclarecer e aconselhar!

 

Dra. Liliana Troeira
Farmacêutica

Deixe seu comentário