English
You have no items in your shopping cart.

Pé Diabético: Que cuidados deve ter?

O que é a Diabetes Mellitus?
É uma doença crónica caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue (glicose), devido ao organismo não ser capaz de a transformar (isto é, metabolizar) adequadamente. Existem vários tipos de diabetes: tipo 1 e 2.

Portugal apresenta mais de 1 milhão de diabéticos e o número mais elevado da Europa de casos de pé diabético e de amputações! Em 2020, menos de 118 mil diabéticos, inscritos no Sistema Nacional de Saúde (SNS), tiveram acesso a exame aos pés.

 

O que é o Pé Diabético? Quais as suas complicações?
O Pé Diabético é uma das complicações mais graves da diabetes mellitus, ao qual se associam várias complicações crónicas, tanto micro como macro vasculares. Estas complicações incluem a seguinte tríade:

Neuropatia
Afeta os nervos dos membros inferiores, diminuído a sensibilidade aos traumatismos vulgares do dia-a-dia.

Doença Arterial Periférica
Afeta as artérias dos membros inferiores. Provoca isquemia periférica (ou seja, diminuição de oxigénio), fragilizando assim os tecidos. Pode evoluir para uma úlcera crónica do pé.

Infeção no contexto de uma neuropatia e isquemia

 

Propagação e destruição extensa dos tecidos profundos do pé com eventual necessidade de realizar amputações menores/maiores do membro inferior.
O pé diabético, além da limitação do próprio membro, também afeta negativamente a qualidade de vida do indivíduo, exigindo reabilitação por longos períodos de tempo. Além disso, representa elevados custos com hospitalizações de repetição e está associado a um elevado índice de mortalidade.

 

Quais os fatores de risco do Pé Diabético?

• Hábitos (ex.: corte inadequado das unhas);
• Cuidados de higiene precários;
• Não secar bem os pés após o banho, principalmente entre os dedos (o que mantém a humidade nessa zona);
• Andar descalço;
• Pele dos pés seca e descamativa;
• Presença de deformidades, rigidez articular, gretas e fungos;
• Antecedentes de amputação e úlceras prévias;
• Uso de sapatos e meias inadequados;
• Obesidade;
• Diminuição da acuidade visual;
• Hábitos alimentares inadequados;
• Sedentarismo;
• Hipertensão arterial;
• Doença arterial periférica e neuropatia;
• Idade superior a 60 anos;
• Baixa literacia (pelo que, é necessário, a formação do utente pela equipa de saúde);
• Condição socioeconómica precária.

 

Como prevenir? Que cuidados adotar?

Prevenir é a palavra de ordem! Para tal, devem ser identificados os grupos de risco, isto é, os que apresentam:

• insensibilidade ao monofilamento (exame realizado na consulta de Diabetes/Pé Diabético);
• ausência de pulsos periféricos (também realizado na consulta do Pé Diabético);
• deformidades dos pés.

 

No dia-a-dia, é fundamental que ponha em prática alguns dos seguintes cuidados específicos:

• Observe diariamente os pés (detete zonas de pressão, úlceras, flictenas/bolhas);
• Promova cuidados ungueais (isto é, entre os dedos dos pés);
• Escolha calçado adequado (para prevenir úlceras);
• Se tiver pés com deformidades, adapte o calçado;
• Evite utilizar objetos cortantes e pontiagudos que causem lesões nos pés (estes doentes apresentam uma diminuição de sensibilidade);
• Trate as onicomicoses (fungos nos pés) adequadamente e o mais rápido possível;
• Trate as calosidades e zonas de hiperqueratose (pois, criam zonas de pressão e cavitações profundas, que podem evoluir para úlceras, muitas vezes, não visíveis). Depois de devidamente tratadas, mantenha as medidas corretas para evitar a sua recorrência;
• Em caso de úlcera, deve ser avaliado periodicamente até à sua cicatrização (de preferência, pela mesma equipa).
• Deve ser seguido em consulta de Diabetes/Pé diabético, independentemente de ter úlceras ou outras complicações;

• Se não conseguir tratar dos seus pés diariamente, procure um profissional com formação especializada em Podologia. Deve ir, pelo menos, uma vez por mês.

 

A prevenção de lesões que surgem nos pés de diabéticos requer um cuidado rigoroso, bem como a sua observação criteriosa e regular. O exame do pé consiste num exame especializado e rigoroso, de modo a identificar fatores de risco para lesões e sinais de neuropatia e/ou isquemia. Também são inspecionados o calçado e as meias.

 

O princípio basilar para evitar complicações no doente diabético é a prevenção! Para tal, a Farmácia Grave tem ao seu dispor um profissional especializado em Podologia…

 

Dra. Filipa
Enfermeira e Podologista

Leave your comment